PAIXOEI OU DIÁRIOS DA FLORESTA

Grupo Lux in Tenebris entra no mundo indígena na encenação do espetáculo Paixoei Ou Diários Da Floresta

Com forte imersão no mundo indígena brasileiro e na obra da antropóloga Betty Mindlin, o grupo Lux in Tenebris está em cartaz com Paixoei Ou Diários Da Floresta  Teatro Commune. Durante o mês de agosto, a peça será apresentada quartas e quintas, às 21h, até 31 de agosto.

A montagem conta com texto e direção de Reinaldo Santiago e é baseada na obra da antropóloga Betty Mindlin Diários da Floresta e sua vivência com os Suruí-Paiter, índios que habitam o Estado de Rondônia. Na trama, uma antropóloga desbravadora se embrenha nos caminhos da floresta em busca de costumes arcaicos, de uma mitologia viva, uma mulher que deixa seus laços familiares para ir de encontro a um povo até então quase desconhecido.

A protagonista é testemunha do cerco da civilização branca se fechando em torno do território Suruí. Uma invasão cultural que profanou a visão integrada desse povo. Uma história que se passa em meio a uma época difícil da história política brasileira. Tendo como guia e caminho as teorias do teatro épico de Bertolt Brecht, todas essas camadas foram incorporadas ao texto.

“O espetáculo propõe um mergulho na cultura indígena, é uma forma de sair do senso comum. Procuramos nos inspirar na mitologia deles, tendo como guia a obra de Betty Mindlin. Ela encontrou os Suruí quando a tribo ainda não tinha contato nenhum com o homem branco, praticamente um Jardim do Éden. O país se encontrava com as ameaças da ditadura, uma fase em que  as terras indígenas eram simplesmente invadidas e ocupadas”, conta Reinado.

Além de uma extensa bibliografia e uma filmografia, o grupo teve uma vivência com os índios Guarani das aldeias Krukutu e Tenondé Porã (Parelheiros); Teko Pyau (Jaraguá); Piaçaguera e Nhamandú Mirim (Peruíbe) e Djaiko Aty (Miracatu).

“Foi um processo de trabalho que nos aproximou ainda mais desse universo. A experiência proporcionada nos serviu como alicerce e inspiração para o espetáculo. Apresentamos a peça aos índios e tivemos uma excelente recepção. O texto aborda a questão dos Suruí-Paiter, contudo é como se fosse a história de qualquer outra tribo”, enfatiza o diretor.

A trilha sonora é executada ao vivo com cantos inspirados em tradições xamânicas e a trama se desenrola em uma lona com esteiras de palha, que simboliza uma grande oca para garantir um efeito intimista na encenação. 

Sobre Lux in Tenebris

O Grupo de Teatro “Lux in Tenebris”, fundado em 1981, tem como característica em seu trabalho teatral a pesquisa antropológica social e étnica. Esta linha de pesquisa surgiu na década de 70, quando formados pela Escola de Arte Dramática , constituímos o Grupo “O Pessoal do Victor”.  Percebemos que havia nesse processo de pesquisa um lado muito rico a ser seguido, pois nos espetáculos montados eram sempre abordadas culturas que estavam em equilíbrio e eram invadidas por “demônios” desestruturadores de sua identidade, como a intervenção do Estado, o capitalismo selvagem e agora a Globalização. Formamos assim, em 1981, com o espetáculo “ Luz nas Trevas “ de Bertolt Brecht, o Grupo de Teatro “Lux in Tenebris” para dar continuidade a essa linha de trabalho.

Pesquisando a história da cidade de Guaíra ao Norte do Estado de São Paulo, montamos “Até Onde a Vista Alcança” de Reinaldo Santiago. –Premio Arte em Cena 1988.   Em seguida montamos “Entre Dois Carnavais” de Reinaldo Santiago – 1992, que abordava a passagem da gripe espanhola no ano de 1918 pelo Brasil.

Em 2006 nosso grupo ganhou o patrocínio da Lei do Fomento para o Teatro da Cidade de São Paulo para realizar o espetáculo “ Ciganos, o Povo Invisível”, que ficou em cartaz durante 6 meses no “ Espaço Cultural Tendal da Lapa “ em São Paulo. Agora o grupo encena “ Paixoei Ou Diários Da Floresta”, que ganhou o Proac Montagens e o Prêmio Zé Renato Circulação.

SERVIÇO

Local: Teatro Commune – Rua da Consolação 1218 – Centro – São Paulo/SP

Temporada: 2 de julho a 31 de agosto de 2016. Julho: Sábados, às 21h, e domingo 20h.

Capacidade: 99 lugares Duração: 90 minutos Classificação: 12 anos. Ingressos: R$ 40 (inteira), R$ 20 (meia entrada). A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo. Vendido também no Ingresso Rápido

***Durante o mês de agosto, a peça será apresentada quartas e quintas, às 21h, até 31 de agosto.

FICHA TÉCNICA

Dramaturgia e Direção: Reinaldo Santiago. Elenco: Marcília Rosário, Márcio Tadeu, Carolina Santiago, Vanessa Carvalho, Paula Zaneti, Natalia Coutinho, George Passos e Paulo Barros. Coreografia, figurinos e adereços: Márcio Tadeu.Criação da Trilha Sonora: Carolina Santiago e Grupo. Movimentação Corporal: Ademar Dornelles. Orientação de Pesquisa: Toninho Macedo. Assistente de Produção: Kelvin Alves . Produção Executiva: Carolina Santiago, George Passos e Paulo Barros. Montagem Gráfica: Carolina Santiago. Assessoria de Imprensa: Renato Fernandes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s