SP Escola de Teatro – Mostra 10 anos 

Referência internacional em formação profissional para o mercado de artes cênicas, a SP Escola de Teatro celebra, neste mês, 10 anos de existência com resultados robustos: 3.495 estudantes atendidos 1.433 artistas convidados, 146.156 horas/aula nos cursos regulares e um modelo de gestão copiado em equipamentos públicos de países como a Finlândia.

Os números reforçam a solidez da trajetória da escola, que se tornou um dos símbolos culturais da cidade de São Paulo. Para celebrar esse marco, a Mostra Teatral SP 10 Anos será realizada de 17 a 28 de novembro, com um novo espetáculo todo dia, gratuito e online. As reservas são gratuitas e  podem ser feitas via Sympla.

Ivam Cabral, diretor executivo da SP Escola de Teatro, ressalta a importância do evento e do encontro entre teatro e internet para persistir no fazer teatral. “É fundamental essa mostra porque revela a vida que veio em função dos nossos trabalhos, evidencia a luta dos coletivos, a resistência por se manter trabalhando. Todos eles mantiveram a alegria e o encanto pelo teatro. Atualmente, vivemos em um mundo complicado com a pandemia e tivemos que responder com ações para continuar o processo de formação, para manter o teatro vivo. A tecnologia foi uma saída para continuar fazendo arte de maneira heroica”.

A programação da Mostra Teatral SP 10 Anos conta com grupos e artistas profissionais egressos da SP Escola de Teatro durante sua década de história. Neste leque de multiplicidade cultural, o público vai poder conferir espetáculos que se inspiram na diversidade, tocando da temática negra à linguagem circense. Confira:

*Grupo Pandora de Teatro (Comum, terça-feira, 17 de novembro, às 20h);

*Gargarejo Cia Teatral (Espetáculo: Bertoleza, quarta-feira, 18 de novembro, às 20h);

*Coletivo C.A.S.A (Espetáculo: Na Cama, quinta-feira, 19 de novembro, às 20h);

*Clã do Jabuti (Espetáculo: Eleguá, Menino e Malandro, sexta-feira, 20 de novembro, às 20h);

*Cia Teatro da Investigação (Espetáculo: A Casa De Farinha Do Gonzagão, sábado, 21 de novembro às 20h);

*Coletivo Caracóis (Espetáculo: Elas), no domingo, 22 de novembro, às 19h;

*Zózima Trupe (Espetáculo: O Silêncio das Coisas Quietas, segunda-feira, 23 de novembro, às 20h); *Estopô Balaio (Espetáculo: Ex-Nordestines – Abertura De Processo, terça-feira, 24 de novembro, às 20h);

* Cia do Caminho Velho (Espetáculo: Tradução Bonita, quarta-feira, 25 de novembro, às 20h);

*Núcleo Absurda Confraria (Circo De Bolso, quinta-feira, 26 de novembro, às 20h);

*Trupe Ânima (Espetáculo: Ânima, sexta-feira, 27 de novembro, às 20h);

*Daniel Veiga (Espetáculo: A Estrangeira, sábado, 28 de novembro, às 20h).

“A SP Escola de Teatro tem um papel importante na formação de grupos, e a mostra tem tanto coletivos que nasceram aqui quanto integrantes que se formaram na escola e constituíram suas Cias. A programação procurou representar todas as turmas de cada ano de vida da instituição, evidenciar as diversas linguagens e temas que esses profissionais pesquisam. A experiência digital reforça a formação de público ampliando a interação e alcance para além da cidade de São Paulo”, conta Elen Londero, responsável por Projetos Especiais da escola.

Daniel Veiga faz direção, dramaturgia e sonoplastia para A Estrangeira, uma das atrações da mostra. O profissional tem uma carreira artística bem atrelada à SP Escola de Teatro, lugar onde se formou, e é um dos artistas que fazem parte do corpo docente desde 2019.

“Venho de uma família humilde, onde a cultura não tinha muito espaço. Creio que senti que tinha uma vocação para a arte, mesmo em um emprego corporativo, ela estava em minha vida. Em 2014, na SP Escola de Teatro pude, de fato, ter um contato profissional com o teatro e a dramaturgia. É um centro de formação das diversas artes do palco, não fica restrita somente na atuação, forma artistas com artistas, mistura toda essas experiências, capacita de uma maneira impossível de quantificar na cena cultural”, enfatiza Veiga.

Mostra Teatral SP 10 Anos é realizada na semana do dia da Consciência Negra (20 de novembro), e não faltam representantes como opção. A Gargarejo Cia Teatral traz um outro olhar sobre a obra O Cortiço, de Aluísio Azevedo, e coloca como protagonista Bertoleza: mulher, negra e escravizada, na quarta-feira, 18 de novembro, às 20h.

“A SP Escola de Teatro é um dos principais expoentes da minha formação em decorrência de sua estrutura e experimentação prática que engloba todas as áreas teatrais. Mais de 70% da Gargarejo Cia Teatral passou ou está passando pela escola, nas funções dentro e fora do palco. É imprescindível a mostra, pois traz vários talentos que estão ligados à ‘SP’. Bertoleza é mais uma história do povo negro que precisa ser contada para a nossa sociedade, em quanto mais lugares ela estiver, é melhor”, conta o diretor Anderson Claudir.

O Clã do Jabuti encena Eleguá, Menino e Malandro, na sexta-feira, 20 de novembro, às 20h. A pesquisa consolidou-se a partir de uma pesquisa sobre a figura de Exu, segundo o olhar da mitologia afro-cubana.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s