EU FAÇO CULTURA


Eu Faço Cultura já distribuiu mais de 62 mil ingressos para pessoas de baixa e está presente em todas as regiões do país

 Iniciativa da Fenae e das Apcef traz uma proposta inovadora de promover uma verdadeira conexão entre produtores e consumidores de cultura, beneficiando ambos os públicos

Em oito meses de funcionamento, o Eu Faço Cultura tem atingido marcas expressivas. O projeto distribui entradas para shows, espetáculos teatrais, cinema, livros para pessoas de baixa renda. A iniciativa está presente nas cinco regiões do país: Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul. Ao todo, 40 cidades tiveram produtos cadastrados, além do UCI, Cinemark, Kinoplex que contemplam quase todo o Brasil. Já foram distribuídos mais de 62 mil ingressos.

Para efetuar resgastes dos produtos culturais é preciso realizar um simples e rápido cadastro no site do projeto. Os perfis dos beneficiários para usufruir da iniciativa são ONGs, escolas públicas, microempreendedores individuais e usuários do Bolsa Família, entre outros. A plataforma está em constante crescimento com a entrada de novos locais e produtos. No total, mais de 500 mil pessoas têm acesso a plataforma digital.

O projeto compra ingressos/produtos do produtor cultural ou fornecedores de cultura e distribui aos beneficiários finais, com subsídio total do Governo Federal pela Lei Rouanet. O Eu Faço Cultura é uma iniciativa da FENAE e das APCEFs, conta com a participação de milhares de empregados da ativa e aposentados da CAIXA, assim como o patrocínio da CAIXA Seguradora e da PAR Corretora.

Mais de 300 atrações já passaram pela vitrine. Entre os espetáculos adultos que estiveram disponíveis para os beneficiários destacam-se Consertando Frank e Volpone com Chico Carvalho (Ator vencedor do Prêmio Shell de 2014); As Benevolentes – Uma Anatomia Do Mal com Thiago Fragoso; Dorotéia – Farsa Irresponsável com Leticia Spiller e Rosamaria Murtinho; a peça Trair e Coçar É Só Começar tem 30 anos de estrada pelos teatros do Brasil; a comédia A Noviça Mais Rebelde com Wilson de Santos; os mineiros do Grupo Galpão, com a peça Nós.

Três das maiores redes de cinema do Brasil disponibilizam ingressos para resgate no Eu Faço Cultura. Cinemark, UCI e Kinoplex tiveram praticamente 2 mil entradas distribuídas para os perfis cadastrados. Uma oportunidade de ver blockbusters da atualidade como X-Men: Apocalipse,  Independence Day: O Ressurgimento, As Tartarugas Ninja: Fora das Sombras, Alice Através do Espelho, Truque de Mestre: 2º Ato, Procurando Dory, Mogli – O Menino Lobo, Warcraft – O Primeiro Encontro De Dois Mundos,  entre outros filmes.

A área de literatura na vitrine está representada com dois novos produtos: Biblioteca Renovada e Tem Que Ler. Diretores de escolas públicas e de ONGs podem solicitar uma seleção de livros variados para renovar o catálogo das bibliotecas de suas instituições. Uma das escolas beneficiadas foi a CELAN CEF 01 do Lago Norte, em Brasília.  O projeto Semear, iniciativa de um colégio particular de do DF, acionou o Eu Faço Cultura para abastecer o acervo da biblioteca da escola estadual. Mais de 150 crianças, entre 3 e 11 anos, foram atingidas pela ação. Também foram beneficiadas a Escola Técnica da Ceilândia (Brasília), APAE (Florianópolis) e o Instituto Social Vó Durvina (Curitiba).

Desde 2006, a FENAE, que também é responsável por diversas ações na área cultural como o Música Fenae e o Talentos Fenae/Apcef, aposta no Eu Faço Cultura para transformar o empregado da Caixa em um incentivador cultural. Anteriormente, a ideia era levar atrações e oficinas para regiões carentes. Agora o projeto se transformou em uma plataforma digital, porém o objetivo continua o mesmo: democratizar, formar plateias e dar impulso ao mercado cultural com o amparo ao pequeno e médio produtor.

A ideia tem funcionado como um propulsor para algumas instituições que tem como meta trabalhar com pessoas que não tem condições para uma vivência cultural. A CUFA – DF (Central Única das Favelas) distribuiu mais de 5000 ingressos para comunidades de baixa renda da periferia do Distrito Federal e o Eu Faço Cultura foi o principal parceiro do show do Rapper MV Bill no evento Taça das Quebradas 2016. Outras entidades também se beneficiaram, como a ONG Rocinha (RJ), que atende mais de 15 mil pessoas e distribuiu cerca de 2.086 ingressos em um mês de cadastro.

Com todos os resultados apresentados, o Eu Faço Cultura traz uma proposta inovadora de promover uma verdadeira conexão entre produtores e consumidores de cultura, beneficiando ambos os públicos.

Para conferir a vitrine com todos as atrações culturais, acesse o site www.eufacocultura.com.br.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s